MOVIMENTO DAS PEDRAS convoca as áreas artísticas das Artes Plásticas, Desenho, Escultura, Arquitectura juntamente com as seguintes áreas científicas: Arqueologia, Antropologia, Geografia, Geologia, Astronomia, Silvicultura.

Os territórios das Serras do Feital, Vilares e Broca albergam uma presença vasta e múltipla da expressão da construção em técnica da pedra seca que pretendemos integrar nos processos de investigação e criação artística relativos ao desenho, à escultura, à produção de espaço e à paisagem.

A técnica da pedra seca é um modo de edificação que consiste exclusivamente no manuseamento de pedras sem recurso a qualquer outro processo construtivo, representando uma cultura secular que se encontra intrinsecamente ligada à experiência do território e da vivência da população.

As acções artísticas compreendem a selecção, recolha, manuseamento e assentamento das pedras na técnica de pedra seca e suas múltiplas variantes, sobre a atenção da forma e do desenho latentes. A actividade é desenvolvida em conjunto com a população local, que ainda detém o conhecimento desta técnica, fomentando a preservação activa do património material e imaterial existente.

 

Observatórios – Astronomia e Geologia

 

 

Investigação artística e científica (Geologia e Astronomia) dos planos terrestre e celeste em simultâneo para o estudo/especulação da importância das pedras e dos astros enquanto elementos dinâmicos ou geradores da transformação da paisagem.

Investigação e criação artística a partir de observações astronómicas e geológicas para a construção experimental na técnica de pedra seca de micro-estruturas que permitem múltiplas leituras da sobreposição dos planos terrestre e celeste.

 

Círculos – Arqueologia e Geografia

Investigação artística e científica (Arqueologia e Geografia) a presença extensiva de meroiços (construção piramidal ou cónica), muros e outras manifestações de ordenamento elementar e informal do espaço das actividades rurais ou outras.

Desenvolve um reconhecimento de caminhos pedestres, povoações e suas comunidades, actividades rurais e construção experimental de objectos pétreos para o pensamento da sua preponderância na paisagem.

 

Água-Doce – Hidrologia e Silvicultura

A água no contexto do espaço rural face aos processos acelerados de desertificação. Formas de uso e de aproveitamento de água. Introdução à técnica milenar, construindo e pensando em formas de retenção e condensação, acumulação e armazenamento de água.

 

Tectos da Montanha – Antropologia

Investigação artística e científica (Antropologia) de um conjunto de cerca de duzentos abrigos em granito de diferentes dimensões e tipologias, destinados a diversas funções ligadas às actividades e ao habitar da serra. Desenvolve a análise dos abrigos existentes, na sua relação com a paisagem e a geografia locais, e a construção experimental de abrigos para o pensamento dos seus processos de edificação e a sua finalidade, envolvendo a participação de artistas e investigadores de diferentes áreas.